Quinta-feira, 12 de Julho de 2007
Sub-título: A homossexualidade no brasil, da colônia à atualidade
Autor: João Silvério Trevisan
Editora: Record

Obra fundamental e minucioso relato, baseado em dez anos de pesquisas e muita reflexão acerca da homossexualidade no Brasil, tão antiga quanto o próprio país. O escritor João Silvério Trevisan afirma que ela já era praticada entre os índios, antes mesmo dos portugueses aqui chegarem e darem sua própria contribuição à causa. Por tais liberdades sexuais, os silvícolas foram chamados de "devassos no paraíso", expressão que dá título ao livro. Publicado originalmente em 1986 (a pedido da editora londrina Gay Men‘s Press) e esgotado há quase uma década, ‘Devassos no paraíso’ na nova versão, dobrou de tamanho, para abranger as grandes mudanças ocorridas no Brasil nesse período, fruto, principalmente da disseminação da Aids, ainda incipiente quando o estudo original foi escrito. O autor investiga a atuação no Brasil, a partir de 1591, do Santo Ofício, preocupada em punir os sodomitas, aborda a formação dos conceitos de pecado e desvio de conduta em relação à homossexualidade e, partindo disso, analisa os esforços de políticos, autoridades policiais, juizes, higienistas e psiquiatras para entender e tentar conter a pederastia nos séculos XIX e XX. E chega até o final do século XX, discutindo direitos civis, inserção social de minorias, Aids e intolerância. Trevisan passa pela biologia, se vale de instrumentos da antropologia e da psicanálise, disseca a religião, analisa o homoerotismo nas artes e na mídia e revela o cotidiano homossexual, através de diversos depoimentos. “Devassos no Paraíso” é um livro que alerta dos perigos que o não encarar-se pode gerar a nós e aos que nos cercam, e que a auto-aceitação é a cura de muitas de nossas moléstias. Trevisan traça a trajetória de intelectuais pertencente à elite – como Elizabeth Bishop, Lota Macedo Soares, Mário de Andrade, entre outros – que tiveram seus trabalhos cultuados enquanto que, sobretudo no caso de Mário de Andrade é abafado pela família como se o fato fizesse dele um artista menor. “Devassos no Paraíso” não quer provar que ser gay é melhor que ser heterossexual ou vice-versa, e sim mostrar que a sexualidade é apenas uma das facetas que formam nosso caráter. Admirável livro capaz de informar, fazer rir, chorar e, acima de tudo, refletir.
</span>

Sobre o autor

João Silvério Trevisan é paulista de Ribeirão Bonito, 56 anos, militante e assumidamente homossexual, não é tão-somente um defensor dos direitos dos gays, é escritor, dramaturgo, tradutor, jornalista, roteirista e diretor de cinema. Com 56 anos, já recebeu inúmeros prêmios em teatro, cinema e literatura, entre os quais o Jabuti (três vezes) e o da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA), em duas ocasiões. Tem obras traduzidas para o inglês, alemão e espanhol.


publicado por star às 19:21 | link do post | comentar

19 de agosto

posts recentes

prince: ícone gay no pass...

recuperado está

o que é: homofobia interi...

j. edgar hoover e clyde t...

trevor project e daniel r...

arquivos

Agosto 2010

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

tags

* cronologia do movimento gay

* retrospectiva 2007

* retrospectiva 2008

a homossexualidade no decorrer da histór

citando

colírio

definindo

depoimentos

direitos e leis

divulgando datas

divulgando eventos

divulgando organizações e ongs

ela e ela

fatos e fotos

feministas

filme e pipoca

homossexuais célebres

livro e abajur

música e sexualidade

musicando estrelas

o que é

poetando

quadrinhos e revistas gays

sombra e luz

sussurros...

vídeos e comerciais

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds