Sábado, 6 de Junho de 2009
jeanette winterson

Jeanette Winterson é poesia em prosa. E talento. E arrojo. E pós-modernismo. E uma das mais importantes escritoras da atualidade. Jeanette Winterson é inglesa, nascida em Manchester, em 1959, foi adotada e criada por pais pentecostais bastante religiosos na vizinha cidade de Accrington, no seio de uma família humilde e sem grande instrução, onde a leitura e os estudos eram considerados supérfluos. A leitura não era bem vista em seu lar, a menos que se tratasse da leitura da bíblia. Seus pais queriam que ela fosse missionária, mas Jeanette Winterson conseguiu inscrever-se numa escola para meninas tendo acabado por sair de casa aos 16 anos, quando se apaixonou por uma garota. Teve que trabalhar em várias cidades e em várias áreas para se sustentar e mais tarde estudou letras na Universidade de Oxford.

Publicou a sua primeira obra, o romance ‘Oranges Are Not the Only Fruit’ em 1985, com 24 anos, e a partir de ‘The Passion’ dedicou-se exclusivamente à literatura em 1987. Algumas das suas obras foram adaptadas para a televisão e o teatro. Em 2006, Jeanette Winterson foi agraciada com a comenda da ‘Order of the British Empire’ por serviços prestados à literatura inglesa. Entretanto, recebeu vários prêmios, ingleses e internacionais, entre os quais o ‘Whitbread Prize’, do Reino Unido, e o ‘Prix d'Argent’, do Festival de Cinema de Cannes. Escreve regularmente em vários jornais ingleses, sobretudo no ‘The Times’ e no ‘The Guardian’.

Written in the body - Jeanette WintersonA obra ‘Inscrito no Corpo’ (Written in the body) é uma intensa elegia àquela paixão que em minuto algum pode se dissociar de sua origem física, carnal, sangüínea, humana e, portanto, de intensidade trágica. Com independência e ousadia Jeanette Winterson mergulha na radicalidade daqueles que vivem em busca do amor ardente e trágico, daqueles que amam com as vísceras, com a carne, com cada centímetro do corpo. É um culto à anatomia da mulher amada, do cheiro, da forma e da cor de cada poro desta mulher, aqui uma mulher casada que não sente nada dessas coisas pelo marido, mas sim pelo amante. O narrador vive a brutalidade das ausências e viaja sempre para este território adorado e perdido: o corpo que lhe desencadeia todos os sentidos de vida e de morte. A prosa erudita de Jeanette Winterson torna-se ainda mais afiada e irônica ao negar ao narrador, ápice do triângulo torrencial, um gênero sexual. Embora o objeto de seu amor seja a mulher casada e especialmente o corpo desta mulher casada, ele por vezes é um homem, por outras é uma mulher e chega a ser ainda um amante de condição sexual indefinida, porém intensa. É um ser humano que se corrói fisicamente com a perda do outro corpo, tão incondicionalmente desejado.

Trecho do livro
'Ela cheira a mar. Ela cheira como as piscinas nas rochas à beira-mar de quando eu era criança. Ela guarda uma estrela-do-mar lá dentro. Eu me curvei para saborear o sal. Para escorregar meus dedos pela orla. Ela se abre e fecha como anêmona-do-mar. Todos os dias ela se enche de marés frescas de anelo.'



publicado por star às 08:38 | link do post | comentar

4 comentários:
De ¿ llola a 6 de Junho de 2009 às 15:53
oimeu amor que bom que curtio o presente olha meu blog tem proteção sim é so vc selecionar o html com o mause assim puxa e depois ctrl+c copia com o teclado ta bom!!
xeros bom final de semna minha linda fui... qualquer coisa me passa que envio pra seu email fui..


De ɐlıɯɐɔ a 6 de Junho de 2009 às 15:59
dorei, queria eu ler este livro..
ah e fico mto grata em saber disso. bjks volte sempre que puder..bjks


De Mih a 7 de Junho de 2009 às 14:55
'Ela cheira a mar. Ela cheira como as piscinas nas rochas à beira-mar de quando eu era criança. Ela guarda uma estrela-do-mar lá dentro. Eu me curvei para saborear o sal. Para escorregar meus dedos pela orla. Ela se abre e fecha como anêmona-do-mar. Todos os dias ela se enche de marés frescas de anelo.'

LINDO !
E está sendo ótimo suspirar minha solidão por agora .


De Laila Braga a 9 de Junho de 2009 às 03:55
Já ouvi falar sobre ela... mas ainda não tive a oportunidade de ler nada da sua obra...


Comentar post

19 de agosto

posts recentes

prince: ícone gay no pass...

recuperado está

o que é: homofobia interi...

j. edgar hoover e clyde t...

trevor project e daniel r...

arquivos

Agosto 2010

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

tags

* cronologia do movimento gay

* retrospectiva 2007

* retrospectiva 2008

a homossexualidade no decorrer da histór

citando

colírio

definindo

depoimentos

direitos e leis

divulgando datas

divulgando eventos

divulgando organizações e ongs

ela e ela

fatos e fotos

feministas

filme e pipoca

homossexuais célebres

livro e abajur

música e sexualidade

musicando estrelas

o que é

poetando

quadrinhos e revistas gays

sombra e luz

sussurros...

vídeos e comerciais

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds