Domingo, 30 de Março de 2008
título no Brasil: 'amigas de colégio'
gênero: drama
origem: suécia
ano de lançamento: 1998
direção: lukas moodysson
elenco: alexandra dahlström, rebecca liljeberg, erica carlson, mathias rust
premiação: vencedor do prêmio de melhor gilme gay/lésbico no festival de berlim de 1999

O título original do filme refere-se a uma pequena cidade da Suécia onde moram as protagonistas. Considerado polêmico fora da Suécia, nos países de língua inglesa foi distribuído como ‘Show me love’, ‘Fucking Åmål’ é a estréia em longa-metragem do cineasta Lukas Moodysson. O diretor começou aos 17 anos escrevendo poemas e romances. Ingenuidade e simplicidade são os segredos do filme. Com uma visão singela, Moodysson retrata de forma sensível a vida de duas garotas que se descobrem lésbicas. Numa comédia leve e moderna, o diretor fala da coragem que é necessária para se ser diferente.

Agnes (Rebecka Liljeberg) e Elin (Alexandra Dahlström) são as únicas que apostam na diferença e enfrentam com praticidade, a descoberta. A primeira veio de outra cidade, não consegue fazer amigos no colégio, é a rejeitada e a que já tem o gosto pelo sexo semelhante, nutrindo amores por Elin, a menina mais popular do colégio, porém o único a saber desta paixão é seu computador, onde ela faz todas as suas anotações. Elin, por sua vez, cansada de ser objeto nas mãos dos garotos e fugindo do lema "falem mal, mas falem de mim", muda quando vai à fracassada festa de aniversário de Agnes. Dá um beijo nela, despertando um turbilhão de desejos escondidos, surgindo daí um sentimento recíproco.

Enquanto a impopular tem uma família perfeita, a outra mora com a mãe solteira, tendo o pai ausente. Há um desejo de se libertar, envolto na frustração por morarem numa cidade interiorana. Mas viver um amor entre iguais não é algo muito fácil: preconceito, auto-aceitação, dúvidas. A partir de então, uma crise de identidade passa a fazer parte da intimidade das duas garotas, que se vêem apaixonadas, mas não sabem como assumir a relação.

A pressão da escola, amigas e meninos fazem com que elas tenham de tomar uma decisão definitiva. Contudo, elas fizeram uma escolha importante em suas vidas e se mostram adultas o suficiente para tomarem suas decisões, tentando não se preocupar com os outros.

‘Fucking Åmål’ é simples, sem ser fácil. Vai direto ao ponto, sem julgar ou opinar. As angústias adolescentes com relação à sexualidade são tratadas com muita sensibilidade e a coragem de colocar os sentimentos para fora é a maior virtude desta obra. O amor lésbico é tratado suavemente por Moodysson. Não há pressa, já que elas têm uma vida toda pela frente.

Fugindo da maioria dos enfoques sobre a questão homossexual, o diretor revela um final surpreendente, prático e simples, envolvendo um banheiro e muita gente no corredor, negando os conceitos "difícil" e "problemático", comumente destinados à adolescência.



publicado por star às 08:06 | link do post | comentar | ver comentários (4)

19 de agosto

posts recentes

prince: ícone gay no pass...

recuperado está

o que é: homofobia interi...

j. edgar hoover e clyde t...

trevor project e daniel r...

arquivos

Agosto 2010

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

tags

* cronologia do movimento gay

* retrospectiva 2007

* retrospectiva 2008

a homossexualidade no decorrer da histór

citando

colírio

definindo

depoimentos

direitos e leis

divulgando datas

divulgando eventos

divulgando organizações e ongs

ela e ela

fatos e fotos

feministas

filme e pipoca

homossexuais célebres

livro e abajur

música e sexualidade

musicando estrelas

o que é

poetando

quadrinhos e revistas gays

sombra e luz

sussurros...

vídeos e comerciais

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds