Terça-feira, 2 de Outubro de 2007
Gay (ou mais raramente guei) é uma expressão inglesa e sua origem está no termo 'gai' advinda do francês arcaico. A palavra inicialmente era usada para designar uma pessoa espontânea, alegre, feliz, e pode ser encontrada nesse sentido em diversas literaturas americanas, sobretudo as anteriores a década de 20. A palavra ao ser difundida pelos países era utilizada principalmente como pejorativa contra homens gays. Contudo, os homossexuais apropriaram-se da palavra, retirando-lhe assim a carga insultuosa.

Embora, algumas vezes, gay seja usado como denominador comum entre homens e mulheres homossexuais e bissexuais, tal uso têm sido constantemente rejeitado por implicar na invisibilidade ante a lesbiandade e à bissexualidade, é usualmente empregado para descrever homens atraídos amorosamente, fisicamente e espiritualmente por outros homens. Gays não precisam ter tido experiências sexuais com outros homens. Na verdade, não precisam ter tido qualquer experiência sexual para se identificarem como gays. O termo também pode ser usado num sentido coletivo, para descrever toda a comunidade GLBT.

Ex-Gay é um termo utilizado para indicar pessoas que alegam ou são reconhecidas por terem abandonado comportamentos homossexuais, freqüentemente sob influência de terceiros. Este termo é bastante discutido, pois existem pessoas que afirmam que a orientação sexual que uma pessoa terá em sua vida é definida por questões genéticas ou de natureza inata e que, portanto, não poderia ser modificada, pelo menos não de forma propositada. Existe um outro grupo, principalmente formado por cristãos, que afirma que a orientação sexual de uma pessoa é influenciada pelo tipo de educação comportamental que foi realizada na infância e poderia também ser alterada mais tarde. Pela psicologia, sabe-se que a orientação sexual não é algo controlável. Os procedimentos que se propõem a realizar tais mudanças são, via de regra, infrutíferos e, acima de tudo, ilegais. Não há embasamento científico algum para afirmar que um ser humano possa (ou precise) mudar de orientação sexual.

Ex-ex-gay é um termo utilizado especialmente por pessoas pertencentes a grupos específicos de evangélicos, ou de outras religiões, homossexuais que, após terem participado ativamente em público dando seu testemunho de que haviam conseguido a "cura" de sua homossexualidade através de terapias religiosas, voltam a assumir pessoal, e publicamente, a homossexualidade. O cidadão norte-americano Wayne Besen (foto), que passou oito anos em um cargo de liderança da organização de ex-gays Exodus International*, é um exemplo notável de um ex-ex-gay.

Tais terapias religiosas são oferecidas principalmente por organizações evangélicas, e são consideradas ilegítimas pelos órgãos profissionais de saúde mental. Por exemplo, o professor de psicologia clínica da Universidade da Basiléia (Universität Basel, no idioma alemão), localizada na Suíça, e o psicoterapeuta Udo Rauchfleisch, também suíço, afirmam que a verdadeira orientação sexual da pessoa, com seus sentimentos entrelaçados, com suas fantasias eróticas e sexuais, assim como com suas preferências sociais, não permitem modificação. Ex-membros do movimento de ex-gays acusam, estas organizações de utilizarem métodos de lavagem cerebral e terapias de reversão.

Algumas das pessoas que se submeteram ou que foram submetidas a esses tipos de programas mas que, por sua vez, conseguiram se desligar dessas organizações, passaram a formar grupos que se auto-denominam como ex-ex-gays. Apontam ainda vários estudos e depoimentos pessoais indicam que esses tratamentos de cura de gays geralmente causam profunda depressão, inseguraça pessoal, além de provocarem pensamentos suicidas que podem levar, de fato, a cometer o suicídio. Ao mesmo tempo, existe uma variedade de organizações religiosas minoritárias pertencentes à tradições religiosas em várias religiões dedicadas à aceitação plena de pessoas homossexuais em seu meio, onde a sua orientação sexual é declaradamente aceita e é celebrada como uma dádiva divina.

*Exodus International é uma ONG norte-americana fundada em 1976, instituição sem fins lucrativos insiste que pode ajudar na luta contra a homossexualidade através do poder de Jesus Cristo. O grupo é tão grande que chegou a mudar o nome para Exodus Global Alliance (Exodus Aliança Global), dando-se um estatus planetário. Agora, depois de 30 anos de ação, o grupo ostenta 150 ministérios em 17 países.


tags:

publicado por star às 09:57 | link do post | comentar

19 de agosto

posts recentes

prince: ícone gay no pass...

recuperado está

o que é: homofobia interi...

j. edgar hoover e clyde t...

trevor project e daniel r...

arquivos

Agosto 2010

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

tags

* cronologia do movimento gay

* retrospectiva 2007

* retrospectiva 2008

a homossexualidade no decorrer da histór

citando

colírio

definindo

depoimentos

direitos e leis

divulgando datas

divulgando eventos

divulgando organizações e ongs

ela e ela

fatos e fotos

feministas

filme e pipoca

homossexuais célebres

livro e abajur

música e sexualidade

musicando estrelas

o que é

poetando

quadrinhos e revistas gays

sombra e luz

sussurros...

vídeos e comerciais

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds