Sexta-feira, 9 de Maio de 2008

Nesse ano, o símbolo máximo da comunidade GLBT, o arco íris, completa 30 anos. A data vai ser comemorada em algumas paradas que farão do símbolo o tema, por exemplo, a de Plymouth na Inglaterra.

No ano de 1978, Gilbert Baker, de São Francisco, desenhou e confeccionou o que viria a ser o símbolo maior da comunidade GLBT. No mesmo ano, a bandeira foi usada pela primeira vez na parada de São Francisco. E Baker continuou a confeccioná-la e ela timidamente ia ocupando o seu espaço. No projeto original de Baker, as cores eram oito. Porém, logo na primeira vez que costurou a bandeira, a fez com sete. Ele mesmo tingia os tecidos e, como o rosa escuro estava em falta no mercado, resolveu eliminar essa cor. Depois, em 1979, quando a bandeira foi usada na parada de São Francisco, os organizadores resolveram retirar mais uma, o índigo, para que resultasse em um número par e, com isso, facilitaria a decoração da parada. As cores foram divididas ao longo da Castro Street, três de cada lado.

Porém, antes das seis cores atuais que representam a diversidade sexual humana, outros símbolos existiram. Um deles vem de uma triste lembrança: o triângulo cor-de-rosa que era usado pelo exército nazista para identificar prisioneiros homossexuais nos campos de concentração. No início dos anos 60 a primeira cor a ser usada pelo movimento, que não chegou a ser um símbolo, foi a cor lilás, difundida pós manifestações Stone Wall pelo grupo "Purple Power". Em seguida, e talvez o emblema mais forte depois do arco-íris, foi o triangulo cor-de-rosa, muito usado nos anos 70 e 80.

A bandeira do arco-íris ganharia conhecimento nacional nos Estados Unidos, quando John Stout processou os seus locadores por o proibirem de usar a bandeira na sacada do seu apartamento. John venceu o processo e o povo dos EUA já sabia qual era o símbolo dos GLBT de seu país. Mesmo já usada na parada de 78, ela seria adotada oficialmente pelo comitê da parada de São Francisco em 79. A bandeira foi empunhada por milhares de manifestantes em protesto pelo assassinato do primeiro candidato a vereador assumidamente gay daquela cidade. Hoje, em várias partes do mundo, há candidatos assumidamente gays, vereadores, deputados e até ministros. De lá pra cá, ela foi usada sucessivamente pelos movimentos de outros países.

Há dois motivos, para a adoção internacional da imagem do arco-íris, primeiro porque o arco íris representa a diversidade do movimento, e pelo Brasil ele se disseminou nos anos 90, com o crescimento das paradas e por conta do mercado, que estava antenado com o que acontecia. A questão do símbolo ser usado no mundo inteiro significa que o movimento é internacional, que se comunica. Em todo o mundo esse é o símbolo GLBT, e, como a bandeira de países ou times de futebol, a bandeira homossexual recebeu um certificado de reconhecimento oficial do ‘International Congress of Flag Makers’, espécie de congresso mundial de fabricantes de bandeiras.

É inegável também o uso do arco íris para designar locais GLBT ou até mesmo friendly. É usada para identificar bares, restaurantes e lojas com predominância do público homossexual ou que recebem esses clientes sem nenhum tipo de preconceito. Muitos estabelecimentos mantêm a bandeira pendurada na porta ou adesivos colados na vitrine. Até a ilha de Castro utiliza o símbolo internacional, é usada para identificar locais em que ocorrem festas gays itinerantes.

A bandeira da liberdade

• Tremulou primeiramente em maio 1978 em São Francisco, Califórnia, EUA.
• Por quê? Usou-se a pluralidade do mundo como um símbolo da diversidade e da unidade da comunidade de lésbicas e gay.
• Onde está agora? Suspensa no telhado do centro gay de São Francisco.
• Projetado por Gilbert Baker, um ativista e desenhista de São Francisco.
• Tamanho: 62 por 48 pés.
• Feita de: algodão orgânico.
• Como foi tingida: à mão, em latas de lixo
• Como foi enxaguada: com água dos hidratantes de fogo de São Francisco.

Cada cor, além da diversidade sexual representa também um conceito. O roxo representa vida; laranja, coração; amarelo, sol; verde, natureza; azul anil, harmonia e violeta, espírito. As excluídas rosa e índigo representavam, respectivamente, sexo e arte.


bandeira do arco-íris aberta em 2007 na parada gay
de são paulo que reuniu 3,5 milhões de participantes



tags:

publicado por star às 17:43 | link do post | comentar

19 de agosto

posts recentes

prince: ícone gay no pass...

recuperado está

o que é: homofobia interi...

j. edgar hoover e clyde t...

trevor project e daniel r...

arquivos

Agosto 2010

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

tags

* cronologia do movimento gay

* retrospectiva 2007

* retrospectiva 2008

a homossexualidade no decorrer da histór

citando

colírio

definindo

depoimentos

direitos e leis

divulgando datas

divulgando eventos

divulgando organizações e ongs

ela e ela

fatos e fotos

feministas

filme e pipoca

homossexuais célebres

livro e abajur

música e sexualidade

musicando estrelas

o que é

poetando

quadrinhos e revistas gays

sombra e luz

sussurros...

vídeos e comerciais

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds