Sábado, 17 de Novembro de 2007

título original: “aimée & jaguar”
ano de lançamento: 1999
gênero: drama
origem: alemanha
direção: max färberböck
roteiro: max färberböck e rona munro, baseado em livro de erica fischer
música: jan a.p. laczmarek
elenco: juliane köhler e maria schrader

Berlim, 1942. Lilly (Juliane Kohler) tem 29 anos, dona de casa, mãe de quatro filhos e mulher de militar. Leva uma vida igual às outras mulheres alemãs, tarefas domésticas, educação dos filhos e amantes ocasionais, enquanto seu marido está em batalha, mas nada que possa afetar a solidez de seu casamento e a perseguição aos judeus e aos opositores políticos não a incomodam. É então que conhece Felice Schragenheim (Maria Schrader), uma jovem de 21 anos. É quase amor à primeira vista, que leva Lilly aos limites do paraíso e do inferno.

Felice é uma jovem determinada, militante da Resistência, infiltrada em um jornal nazista para obter informações sobre os avanços dos exércitos de Hitler. Ela esconde suas raízes judias para se manter viva e ter livre acesso à sociedade de Berlim. As duas se vêem pela primeira vez em um concerto. A beleza de Lilly desperta a atenção de Felice, que faz de tudo para mantê-la por perto e lhe escreve cartas sedutoras. Aimée (Lilly) e Jaguar (Felice) são os codinomes que escolhem para este romance proibido. Uma paixão inesperada que irá mudar radicalmente a vida de Lilly, levando-a a abandonar o marido.

Na primavera de 1943, Felice muda-se para a casa de Lilly. Fazem planos para o futuro, escrevem poesias e cartas de amor, inventam um contrato de casamento, ignorando o caos à sua volta. Quando Jaguar confessa à amante que é judia e está na clandestinidade, este segredo perigoso une ainda mais as duas mulheres. Em um pacto de companheirismo e amor, tentam esquecer os horrores da guerra, mantendo-se fora dos conflitos até serem tragadas pela brutal realidade. Mas a felicidade dura apenas pouco mais de um ano.

No dia 21 de agosto de 1944, ao voltar de um passeio ao rio Havel, Aimée e Jaguar estão sendo esperadas pela Gestapo. Felice foge, mas é traída por um dos moradores do prédio. Ela inicia a via-crucis de incontáveis judeus alemães. Lilly fica desesperada, e tenta segui-la até o campo de concentração de Theresienstadt. Ela recebe as últimas linhas escritas por Felice no início de 1945 do campo de concentração de Gross-Rosen. "Amo-te muito. Beijos, beijos, beijos de Jaguar."

"Aimée & Jaguar" é uma comovente e verídica história de amor. É um filme pungente, forte e sensível, mesmo ambientado em plena Segunda Guerra Mundial. Plasticamente, o filme é belíssimo, com uma fotografia impecável. As cenas de amor entre Lilly e Felice são realistas, sensuais, lindíssimas. Talvez se feito dentro da visão do cinema americano, poderia descambar para algum tipo de realismo-mágico, onde, num ato de heroísmo, os tanques ianques invadiriam Berlim e salvariam Felice das garras dos malvados nazistas. Ainda bem que o filme é alemão.

Baseado num livro envolvente sobre amor e exclusão, paixão e preconceito, vida e tragédia, da jornalista Erica Fischer escrito a partir das memórias de Lilly Wust. Erica Fischer seguiu os passos de Felice, falou com as pessoas que conheceram Aimée e Jaguar, passou incontáveis horas conversando com Lilly em Berlim, estimulou suas lembranças, a fez meditar, mexer em documentos antigos, chorar. Vale a pena dar uma conferida na vida dessas duas mulheres que existiram realmente e que, por amor, abandonaram família, amigos e a causa pela qual lutavam para se entregarem uma a outra e viverem, mesmo por pouco tempo, uma louca e arrasadora paixão. Curiosidade: aos 85 anos, a verdadeira Lilly Wust compareceu ao Festival de Berlim de 1999, para ajudar na publicidade do filme.



publicado por star às 06:54 | link do post | comentar

1 comentário:
De Anónimo a 15 de Abril de 2008 às 21:14
Acho que vc está equivocada ,pois não é uma vida comum as das outras mulheres alemãs, pois vejo que Lilly estava se descobrindo e em busca constante do amor verdadeiro, sincero, portanto não acredito que todas as mulheres e as alemãs tenham amantes ocasionais.
Grande equivoco, assista de novo o filme ou leia o livro e veja tmb a entrevista da Wust, que é a Lilly na real.
Um abraço


Comentar post

19 de agosto

posts recentes

prince: ícone gay no pass...

recuperado está

o que é: homofobia interi...

j. edgar hoover e clyde t...

trevor project e daniel r...

arquivos

Agosto 2010

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

tags

* cronologia do movimento gay

* retrospectiva 2007

* retrospectiva 2008

a homossexualidade no decorrer da histór

citando

colírio

definindo

depoimentos

direitos e leis

divulgando datas

divulgando eventos

divulgando organizações e ongs

ela e ela

fatos e fotos

feministas

filme e pipoca

homossexuais célebres

livro e abajur

música e sexualidade

musicando estrelas

o que é

poetando

quadrinhos e revistas gays

sombra e luz

sussurros...

vídeos e comerciais

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds