Quinta-feira, 23 de Outubro de 2008

a dica para o post foi da luma, e o texto é de carlos zamith de oliveira junior, juiz de direito do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas.

fernando gabeira

O candidato à Prefeitura do Rio de Janeiro Fernando Gabeira (PV) deu esta semana uma boa resposta a alguns universitários engraçadinhos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Ele foi até a universidade para participar de uma palestra com os alunos, que começaram a gritar ‘viado! viado!’. Gabeira se levantou, foi até o microfone e disparou: ‘Se sou viado ou não é problema meu. Sou casado e pai de dois filhos. Vou trabalhar com a cabeça e não com o c...!’. A resposta foi seguida de um espaço de silêncio e depois por uma sonora salva de palmas. (carlos zamith de oliveira junior)


Fernando Paulo Nagle Gabeira é e sempre foi polêmico. Ainda jovem trabalhou como jornalista, nos anos 60 se engajou na luta armada contra a ditadura militar de 1964. Juntamente com o MR-8 (Movimento Revolucionário 8 de Outubro) participou do seqüestro do embaixador americano, Charles Elbrick, o seqüestro ocorreu como forma de pressionar o regime militar a libertar 15 políticos esquerdistas. Preso, libertado e exilado, é anistiado e volta ao Brasil em 1979. Para horror da burguesia local e mexendo com os seus preconceitos, Gabeira aparece de tanga de crochê na praia e logo depois lança o best-seller ‘O que é isso, companheiro?’. Em 1985 abraça causas como os direitos das minorias e das mulheres e a ecologia. É conhecido pela sua atuação no Partido Verde, do qual é membro-fundador.



publicado por star às 12:16 | link do post | comentar

4 comentários:
De Gospel a 23 de Outubro de 2008 às 19:23
Está aí o Gabeira, gente boa! Com certeza acredito que ele, sendo eleito, não trabalará com o c... Diferente do Crivella, este sim, acredito que trabalharaia nesses termos, como trabalharam os GAROTINHOS.

Obviamente, que diferente da conotação sexual dada, aqui tá mais mesmo é pra DOR DE BARRIGA E BORRADAS! rsrsrsrsrs


De Luma a 24 de Outubro de 2008 às 10:35
hahaha não sabia que ia virar post! Olha, não posso deixar de dar uma sonora gargalhada todas as vezes que leio a frase do Gabeira, porque ele pegou a todos de sopetão, ninguém esperava esta resposta e imagino o silêncio de estupefação! Valeu!! Bom fim de semana! Beijus


De Nacir Sales a 25 de Outubro de 2008 às 17:08
Quando candidato pela primeira vez ao Governo do Estado do Rio de Janeiro, o slogan adotado foi: "GABEIRA: É SÓ QUERER!"
Uma mensagem romantica, para quem acha que não somos os motores de nossa história. Uma candidatura à frente da sua época, naquela época. Por ironia do destino os meus amigos certinhos e que também chamavam Gabeira de "V.." se deram muito mal na vida e acumularam frustração somatizada no abdomem. Óbvio, não acreditavam no brado "É só querer!". Os outros amigos, que também espetaram o boton do Gabeira nas mochilas e blusas, eram adeptos da crença em seus próprios sonhos e construíram os seus espaços de ação e influência nas diversas áreas a que se dedicaram, alguns em áreas que eles próprio criaram (afinal: é só querer!).
Quem mais se incomodou com a trajetória de Gabeira, não foi nem a direita nem a esquerda, porque ambas se afogaram em suas toneladas de preconceitos e jamais viram neste respeitável mineiro nada que ameaçasse o status quo. Quem se incomodou com Gabeira foram os que ouviram o eco do "É SÓ QUERER" e não quiseram, nao acreditaram em seus próprios sonhos, em suas próprias crenças.Os que o chingaram na UFRJ são portadores do mesmo DNA da descrença e este sintoma,quando observado em jovens, é sinal de doença grave, muito grave.


De mara* a 26 de Outubro de 2008 às 08:09
Essa é a mais pura verdade. Os nossos amiguinhos certinhos, aqueles da década de 60, da cultura ‘american way of life’, encontraram espaço na juventude politicamente bem-comportada, isto é, não-participante, não politizada, alienada mesmo, no movimento ‘jovem guarda’ dos alegres domingos do ‘rei’ Roberto Carlos. Por eu ter vivido esta década, mas de modo diferente, o meu tempo era o tempo da arte participante e do jovem engajado, aquele que se filiava a uma causa e lutava por ela, pois era a hora de construir uma sociedade justa e igualitária; por eu ter vivido a época em que a imagem do jovem estudante era a imagem do estudante responsável que queria mudar o país, a minha dificuldade, hoje, é entender o porquê da alienação dos atuais estudantes, visto que isso ocorre, e não é por falta de informações, afinal elas nunca estiveram tão disponíveis como agora. Você deve ter razão Nacir! Só pode ser doença, transmitida pelo DNA daqueles das alegres tardes de domingo.


Comentar post

19 de agosto

posts recentes

prince: ícone gay no pass...

recuperado está

o que é: homofobia interi...

j. edgar hoover e clyde t...

trevor project e daniel r...

arquivos

Agosto 2010

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

tags

* cronologia do movimento gay

* retrospectiva 2007

* retrospectiva 2008

a homossexualidade no decorrer da histór

citando

colírio

definindo

depoimentos

direitos e leis

divulgando datas

divulgando eventos

divulgando organizações e ongs

ela e ela

fatos e fotos

feministas

filme e pipoca

homossexuais célebres

livro e abajur

música e sexualidade

musicando estrelas

o que é

poetando

quadrinhos e revistas gays

sombra e luz

sussurros...

vídeos e comerciais

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds